ARTIGOS,

PARA UM BLOGUEIRO, O GOOGLE PODE SER MUITO MAIS DO QUE UM BUSCADOR

novembro 25, 2012 Unknown 0 Comments


Pesquisar no Google é um hábito de muitos blogueiros, webmasters e demais pessoas por todo o mundo. É de praxe ligar o computador, notebook ou celular e começar a navegar já da tela inicial do buscador. Podemos encontrar desde pessoas à lugares facilmente, com apenas alguns cliques e sem muita demora. O Google se tornou o ponto de partida para muita coisa e quando o assunto é busca, definitivamente, ele é o maior.
Embora seja possível fazer praticamente tudo utilizando alguns “caracteres” e um “enter”, também é possível utilizar o Google para fazer algo mais avançado como analisar um concorrente, encontrar bons nichos de mercado, gerar ideias para artigos, refinar buscas e muito mais. Algumas vezes o que precisamos é exatamente aquilo que está em nossa frente, e é justamente sobre isso que falo nesse artigo. Temos uma ferramenta sensacional em nossas mãos, desde que estejamos qualificados a utiliza-la.
seo

PESQUISAR EM UM SITE ESPECÍFIO

O Google permite que sejam feitas pesquisas em sites específicos pela web através do comando “site”. Essa é uma das palavras mais utilizadas por nós blogueiros, mesmo que indiretamente. Isso porque todas as buscas internas disponibilizadas pelo Google e que utilizamos em nossos blogs nada mais é do que uma implementação desse comando. O que é feito é simplesmente incluir um código que gera essa palavra seguida de seu site, como por exemplo “site:seusite.com + palavra pesquisada”.
Ideia de utilização: Com esse comando é possível verificar quantas páginas do seu blog foram indexadas pelo Google, digitando “site:seublog.com”, verificar quais sites do Brasil são relacionados à futebol, digitando “site:.com.br futebol”, ou verificar quantos artigos de uma categoria foram indexados, digitando “site:seublog.com/categoria/”.
Note que, na ideia acima, o comando “site” funciona da seguinte maneira:
  • Quando você digita “site:seublog.com” sem informar nenhuma keyword, é como se você estivesse pesquisando por tudo o que o Google possui sobre o site informado. Serão apresentados absolutamente todos os resultados possíveis. Partindo disso podemos saber, fielmente, quantas páginas estão indexadas.
  • Quando você digita “site:seublog.com/categoria/” é apresentada a categoria em questão e todos os posts dessa categoria. Com isso, é possível ter uma ideia de quais artigos foram indexados em determinadas categorias.
  • Quando você digita “site:.com.br”, “site:.com”, “site:.net”, etc. você estará sinalizando ao Google que quer resultados específicos para aquele tipo de domínio. Então, informando “site:.com.pt apostas desportivas” você terá como retorno uma lista de sites que falam sobreapostas desportivas em Portugal.
Levando para o lado prático, um dia necessitei utilizar esse comando para encontrar blogs com domínio .EDU ou .GOV que não utilizassem WordPress, pois essas seriam boas opções para ganhar backlinks de qualidade. Então, pesquisei pelo seguinte:
SITE:.EDU INURL:BLOG WP WORDPRESS
Nessa pesquisa, o comando “site” garante que apareçam apenas domínios “.EDU”, o comando “inurl” garante que apareçam apenas blogs com a palavra “BLOG” na url, o comando – (menos) garante que não apareçam resultados que contenham as palavras “-WP” e “-WORDPRESS”. Assim, a maioria dos resultados apresentados seriam de blogs fora da plataforma WordPress, onde as chances de conseguir links dofollow seria melhor através de simples comentários. Embora isso pareça totalmente inimaginável, vários bons sites fora do Brasil passam link juice. Basta apenas um link para que o blog vá parar na primeira página do Google.

EXCLUINDO TERMOS DE PESQUISA

Como sabemos, o Google indexa milhões de páginas diariamente. Grande parte das pesquisas para uma determinada palavra-chave traz o mesmo site, variando apenas as urls. Não é difícil perceber que, por exemplo, quando buscamos pela palavra “Dinheiro”, encontramos praticamente os mesmos sites que aparecem também para as pesquisas através das palavras “Ganhar Dinheiro” ou “Dinheiro Extra”. Isso acontece porque esses termos são extremamente abrangentes e é possível criar uma infinidade de combinações com essas keywords e seus sinônimos. Com a palavra “Dinheiro” é possível montar dezenas de frases muito concorridas e que acabam sendo utilizadas por vários sites para ganhar posicionamento.
A exclusão de termos de pesquisa nada mais é do que um filtro um pouco mais avançado que nos permite desconsiderar determinadas palavras quando estamos pesquisando. Isso garante resultados mais restritos e muitas vezes inéditos.
Ideia de utilização: Uma boa idéia de utilização é analisar seus concorrentes. Imagine que você precisa descobrir em quantas páginas e artigos um site fala sobre determinado assunto. Nesse caso basta fazer duas pesquisas, como no exemplo a seguir:
1 – Utilize o comando site para descobrir quantas páginas indexadas seu concorrente possúi. Para esse teste, utilizei “site:escoladinheiro.com”.
Pesquisa no Google
2 – Utilize o comando site juntamente com o operador menos (-) para excluir um termo da pesquisa. Para esse teste, utilizei “site:escoladinheiro.com -afiliação”.
Pesquisa no Google
Note que na primeira imagem é apresentado o número total de páginas indexadas, 1.780. Já na segunda imagem é apresentado o número total de páginas indexadas que não falam absolutamente nada sobre afiliação (não utilizam esse termo), 1.530. Partindo desses números, podemos concluir que em 250 páginas e/ou posts ao menos é citado uma vez a palavra afiliação. Sabendo quantas páginas existem para um determinado assunto, você pode ter uma idéia de como será a concorrência, caso queira escrever sobre o mesmo assunto. Lembrando que o Google leva em consideração o quanto um determinado site fala sobre determinado assunto.

UTILIZANDO A CONJUNÇÃO OR

Além da possibilidade de utilizar o comando site e o operador menos, podemos criar filtros ainda mais avançados através da conjunção OR (OU). O que fazemos normalmente, quanto pesquisamos por mais de uma palavra, é simplesmente escrevê-las e clicar no botão “buscar”. Quanto mais palavras informamos, menos resultados aparecerão e mais específicos serão. Porém, algumas vezes necessitamos variar as palavras para conseguir melhores resultados. Nesse caso, podemos utilizar a conjunção OR para ampliar o leque de pesquisa do Google.
Ideia de utilização: Quando desejamos ver quais sites estão melhor posicionados para uma determinada keyword, normalmente, fazemos uma pesquisa utilizando a palavra em questão. Porém isso nos limita a aceitar apenas os resultados daquela pesquisa. Para ser mais abrangente, e descobrir quais são as palavras com os concorrentes mais fortes, necessitamos utilizar a conjunção OR para expandir o “campo de visão” do Google. Para esse exemplo, utilizei a pesquisa “dinheiro OR grana OR investimento OR trabalho”.
Note que através dessa pesquisa podemos perceber que, dentre as palavras informadas, as que possuem sites de maior relevância bem indexados são “Dinheiro” e “Trabalho”. A palavra “Investimento” aparece em apenas um resultado (oculto nessa imagem) e “Grana” não aparece. Portanto, se fossemos tratar isso isoladamente, poderiamos concluir que é muito mais fácil concorrer para a palavra “Grana” do que para a palavra “Investimento”, assim como é muito mais fácil concorrer para a palavra “Investimento” do que para as palavras “Dinheiro” e “Trabalho”.

UTILIZANDO O OPERADOR CURINGA

De todos os comandos disponibilizados pelo Google, o mais interessante por vários motivos, é o operador curinga (*). Com ele podemos omitir palavras a fim de gerar sugestões e resultados variados e inteligentes. Esse é um operador que permite manipular tanto o Google Instant quanto os resultados que nos são apresentados em cada pesquisa.
Para entender melhor, imagine que você tem em mente apenas duas palavras: “Afiliados” e “Online”. Se você fizer uma pesquisa por essas duas palavras, o Google se encarregará de trazer resultados próximos a isso, mas que talves não atendam às suas necessidades, como é o caso da imagem abaixo.

0 comentários: